28 de março: em fotos, a vida em tempos de coronavírus pelo mundo

Moradores de rua e de regiões marginalizadas já começam a sentir o impacto do vírus e falta alimentos e itens de higienização

Mais de 600 mil pessoas no mundo inteiro já se contaminaram com o coronavírus.

Um homem caminha sozinho pelo quase vazio centro de transporte de Oculus no World Trade Center, em Manhattan, Nova York, em 27 de março de 2020. REUTERS / Mike Segar
REUTERS / Mike Segar

Um homem caminha sozinho pelo quase vazio centro de transporte de Oculus no World Trade Center, em Manhattan, Nova York.

Um viajante de bilhete mensal aprecia o por do sol sozinho no convés superior de um ferry de Staten Island em Manhattan, Nova York, 26 de março de 2020. REUTERS / Caitlin Ochs
REUTERS / Caitlin Ochs

Um viajante de bilhete mensal aprecia o por do sol sozinho no convés superior de um ferry de Staten Island em Manhattan, Nova York.

Uma mulher usando uma máscara protetora senta-se em um assento social, enquanto monta um ônibus em Bangkok, Tailândia, em 27 de março de 2020. REUTERS / Chalinee Thirasupa
REUTERS / Chalinee Thirasupa

Uma mulher usando uma máscara protetora senta-se em um assento social, enquanto monta um ônibus em Bangkok, Tailândia.

As pessoas usam máscaras faciais enquanto andam em uma comunidade residencial em Xianning, província de Hubei, China, 25 de março de 2020. REUTERS / Aly Song
REUTERS / Aly Song

As pessoas usam máscaras faciais enquanto andam em uma comunidade residencial em Xianning, província de Hubei, China.

Um viajante solitário fica na plataforma de uma estação de trem deserta durante a hora do rush da manhã em Sydney, Austrália, 24 de março de 2020. REUTERS / Loren Elliott
REUTERS / Loren Elliott

Um viajante solitário fica na plataforma de uma estação de trem deserta durante a hora do rush da manhã em Sydney, Austrália.

Praia de Ipanema, Rio de Janeiro, 26 de março. REUTERS / Ricardo Moraes
REUTERS / Ricardo Moraes

Praia de Ipanema, Rio de Janeiro vista de cima.

Conexões de rodovias no Rio de Janeiro, 26 de março. REUTERS / Ricardo Moraes
REUTERS / Ricardo Moraes

Conexões de rodovias no Rio de Janeiro, vista de cima.

Os moradores de rua são verificados pelas autoridades de saúde antes de irem para os abrigos, durante um bloqueio de 21 dias em todo o país, na tentativa de conter o surto de doença por coronavírus, em Durban, na África do Sul, em 27 de março de 2020. REUTERS / Rogan Ward
REUTERS / Rogan Ward

Os moradores de rua são verificados pelas autoridades de saúde antes de irem para os abrigos, durante um bloqueio de 21 dias em todo o país, na tentativa de conter o surto de doença por coronavírus, em Durban, na África do Sul.

Ponte Rio-Niterói no Rio de Janeiro, 26 de março. REUTERS / Ricardo Moraes
REUTERS / Ricardo Moraes

Ponte Rio-Niterói no Rio de Janeiro, vista de cima.

Um trabalhador da Cruz Vermelha verifica um sem-teto deitado em um degrau perto do Coliseu, em Roma, Itália, em 17 de março de 2020. Desde a crise dos coronavírus, os trabalhadores da Cruz Vermelha têm aumentado suas atividades diárias para atender às crescentes necessidades dos sem-teto em Roma .  Sem ninguém nas ruas para lhes dar comida ou dinheiro, e os restaurantes que geralmente doam sobras fecham, os sem-teto estão lutando para encontrar comida e outros suprimentos para mantê-los em funcionamento.  REUTERS / Guglielmo Mangiapane
REUTERS / Guglielmo Mangiapane

Um trabalhador da Cruz Vermelha verifica um sem-teto deitado em um degrau perto do Coliseu, em Roma, Itália. Desde a crise dos coronavírus, os trabalhadores da Cruz Vermelha têm aumentado suas atividades diárias para atender às crescentes necessidades dos sem-teto em Roma.

Sem ninguém nas ruas para lhes dar comida ou dinheiro, e os restaurantes que geralmente doam sobras fecham, os sem-teto estão lutando para encontrar comida e outros suprimentos para mantê-los em funcionamento.

Homens sem-teto montam tendas fornecidas pela organização de caridade Caritas da República Tcheca para impedir a propagação da doença por coronavírus em Praga, República Tcheca, em 27 de março de 2020. REUTERS / David W Cerny
REUTERS / David W Cerny

Homens sem-teto montam tendas fornecidas pela organização de caridade Caritas da República Tcheca para impedir a propagação da doença por coronavírus em Praga, República Tcheca.

Um mendigo está deitado na escada perto da Place de l'Opera, em Paris, França, em 27 de março de 2020. REUTERS / Charles Platiau
REUTERS / Charles Platiau

Um mendigo está deitado na escada perto da Place de l’Opera, em Paris, França.

Favela do Rio das Pedras, Rio de Janeiro, 26 de março. REUTERS / Ricardo Moraes
REUTERS / Ricardo Moraes

Favela do Rio das Pedras, Rio de Janeiro, vista de cima.

Um sem-teto usa máscara facial em Nova York, Nova York, em 17 de março de 2020. REUTERS / Eduardo Munoz
REUTERS / Eduardo Munoz

Um sem-teto usa máscara facial em Nova York, Nova York.

Um homem sem-teto cobre seu rosto com plástico enquanto espera para ser transportado para um abrigo para sem-teto em Joanesburgo, África do Sul, em 27 de março de 2020. REUTERS / Siphiwe Sibeko
REUTERS / Siphiwe Sibeko

Um homem sem-teto cobre seu rosto com plástico enquanto espera para ser transportado para um abrigo para sem-teto em Joanesburgo, África do Sul.

Rafael Marchante/Reuters

Funcionários municipais desinfectam ruas em Cascais, Portugal, neste sábado (28), para evitar a disseminação do novo coronavírus. O mundo bateu a marca dos 600 mil casos de Covid-19.

Siphiwe Sibeko

Sem-tetos observam agente de segurança da África do Sul que fazem patrulha nas ruas de Joanesburgo.

Coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde divulgou neste sábado (28) o mais recente balanço dos casos da Covid-19, doença causada pelo coronavírus Sars-Cov-2. Os principais números são: 114 mortes, 3.904 casos confirmados, 2,8% é a taxa de letalidade. São Paulo concentra 1.406 casos, e o Rio, 558. (g1)

Coronavírus pelo mundo

Passou de 600 mil o número de pessoas infectadas com a Covid-19 no mundo, de acordo com levantamento da universidade Johns Hopkins, neste sábado (28). São 657.691 infectados, com 30.438 mortes registradas até as 18h. Já se recuperaram da doença 139.263 pessoas. (g1)

Gostou deste post? Deixe seu comentário e assine a newsletter para receber mais conteúdos do blog.